Alunos do Colégio Santa Cruz lançam jornal Falaí!

Jornal é produzido por alunos da Oficina de Mídias

Reprodução: Colégio Santa Cruz

Os alunos do Colégio Santa Cruz, instituição de ensino que tem como mantenedora a Congregação de Santa Cruz, publicaram a edição de 2021 do jornal Falaí! O jornal é produzido pelos integrantes da Oficina de Mídias, atividade complementar oferecida para os alunos do Fundamental 2, que se dá sob orientação dos educadores Rafael Gonçalves e Tatiana Luz. Ao longo de 2021, devido às restrições causadas pela pandemia de Covid-19, as atividades da oficina desenvolveram-se do modo não presencial. 

O jornal traz diversas pautas sobre trabalhos realizados no ambiente escolar, sobre projetos sociais, tecnologia e inovação, meio ambiente e entrevistas diversas! Dentre os convidados da presente edição estão Jadel Gregório, medalhista olímpico e recordista mundial, e Raphael Cruz, atleta que participou das Paralimpíadas.

Como novidade, na edição 2021, o jornal Falaí! tem um caderno inteiramente dedicado ao esporte que, além das entrevistas com atletas renomados, traz também matérias sobre a Copa do Mundo de Futsal e a 64ª Festa dos Esportes, evento mais longevo do Colégio Santa Cruz.

Confira todas as matérias do jornal Falaí! pelo link: https://portalcei.santacruz.g12.br/~informes/falai_ed_07/index.html.

Nota de Falecimento: Pe. José Amaral de Almeida Prado

É com profunda tristeza que a Congregação de Santa Cruz comunica o falecimento do Padre José Amaral de Almeida Prado, aos 91 anos, ocorrido hoje (13). Primeiro padre brasileiro da Congregação de Santa Cruz, Pe. José contemplou o Colégio Santa Cruz e seus funcionários com sua amorosa companhia e seu dedicado trabalho desde 1954, apenas dois anos após a fundação da instituição pelos padres canadenses.

Pe. José foi professor de Latim, Português e Religião entre 1955 e 1963 do Curso Ginasial, assumindo em seguida a função de diretor do curso até 1968. Presente na vida do Colégio, ele continuou seus estudos, doutorando-se na Universidade de São Paulo (USP) e lecionando na Universidade Estadual Paulista (UNESP). Chegou ao cargo de superior do Distrito da Congregação de Santa Cruz no Brasil entre 1980 e 1986 e, posteriormente, no período de 1994 a 1999. Era membro do Conselho de Administração do Colégio Santa Cruz desde 1995, exercendo a presidência do conselho por mais de 10 anos.

Retornou ao Colégio Santa Cruz em 2000 como parte da equipe pastoral e, em 2010, tornou-se orientador espiritual do Colégio, desempenhando importante papel na vida de alunos, familiares e educadores de todos os setores. Em 2014, a escola eternizou o reconhecimento de sua trajetória batizando o novo prédio do Ensino Fundamental 2 com seu nome. Hoje, o local é conhecido como Pavilhão Padre José Amaral de Almeida Prado.

Recentemente declarou que estes últimos anos trabalhando no Colégio Santa Cruz foram os mais felizes de sua vida, pois amava andar pela escola, onde era sempre abordado por educadores e estudantes que queriam conversar ou desfrutar alguns minutos de convivência com ele.

A Congregação de Santa Cruz presta condolências aos familiares, amigos e comunidade do Pe. José. Homem de graça e espiritualidade imensuráveis, Pe. José estará para sempre marcado na história da Congregação e do Colégio Santa Cruz por seu árduo e dedicado trabalho, e no coração de todos aqueles que partilharam momentos ao seu lado.

Colégio Dom Amando realiza Semana Pedagógica

Evento reúne equipes pedagógica e administrativa para alinhar perspectivas para o ano letivo

O Colégio Dom Amando, que tem como mantenedora a Congregação de Santa Cruz, realiza, desde 10 de janeiro até o próximo dia 14, sua tradicional Semana Pedagógica. O encontro reúne as equipes pedagógica e administrativa do Colégio, com o intuito de potencializar as relações de ensino-aprendizagem e alinhar perspectivas para o ano letivo de 2022.

O primeiro dia do evento, realizado na última segunda-feira, dia 10 de janeiro, foi marcado pela troca de conhecimentos, pela acolhida, por louvores e orações, com a participação especial da equipe pastoral do Colégio Dom Amando. Esse encontro contou com a participação da Superintendente da Congregação de Santa Cruz, Geani Moller Cavallaro, que conversou com os presentes sobre processos administrativos da mantenedora. O Diretor Pedagógico Geral do Colégio, Fernando Frozza, por sua vez, desenvolveu uma pauta específica sobre organização escolar, projetos formativos e calendários. O encontro se completou com uma formação continuada para os educadores de Santa Cruz com o psicólogo escolar André Santos de Souza.

CECOIA recebe doação de alimentos para as famílias atendidas

Centro distribuiu alimentos doados para atendimento de suas famílias

O Centro Comunitário Irmão André (CECOIA), instituição de Campinas que tem como mantenedora a Congregação de Santa Cruz, recebeu, em dezembro, doação de diversos alimentos a serem distribuídos para as famílias atendidas. Os produtos foram doados pela Mesa Brasil, OBA Hortifruti, Banco de Alimentos, Ermitage e Colégio Notre Dame.

Quinze famílias foram beneficiadas, ainda no mês de dezembro, com a entrega de produtos diversos, como leite, suco, frutas e legumes. Além disso, todos os 183 atendidos receberam panetones.

Graças à generosidade das instituições doadoras, a Congregação de Santa Cruz aproximou-se, ainda mais, das famílias atendidas e, com alegria, viabilizou que elas pudessem ter um Natal um pouco mais farto.

Colégio Santa Cruz abre inscrições para vagas remanescentes do EJA

Inscrições vão de 10 a 14 de janeiro e devem ser feitas diretamente no Colégio

O Colégio Santa Cruz, que tem como mantenedora a Congregação de Santa Cruz, abrirá, no próximo dia 10 de janeiro, inscrições para vagas remanescentes do curso noturno: Educação de Jovens e Adultos (EJA) 2022. As vagas são direcionadas para quem deseja completar o Ensino Fundamental (quem estudou até o 5º ano, apenas) ou para quem deseja cursar o Ensino Médio.  Destaque-se que, em qualquer caso, o curso é gratuito.

As inscrições ficarão abertas até dia 14 de janeiro e devem ser feitas diretamente no Colégio Santa Cruz, localizado na Avenida Arruda Botelho, número 255, no bairro Alto de Pinheiros. Os interessados devem comparecer na unidade das 14h às 20h.

Para mais informações, basta entrar em contato com o Colégio pelo e-mail secretacn@santacruz.g12.br ou pelo telefone (11) 3024-5198.

Colégio Notre Dame divulga alunos aprovados no vestibular 2022

Reprodução: Colégio Notre Dame

Estudantes foram aprovados em diversas universidades públicas, particulares e internacionais

O Colégio Notre Dame, instituição de ensino mantida pela Congregação de Santa Cruz, divulgou orgulhosamente em seu site a lista de alunos aprovados nos vestibulares 2022. Os estudantes cursaram o terceiro ano no Colégio ao longo de 2021 e participaram do processo seletivo de diversas universidades nacionais e internacionais.

Os alunos do Colégio marcaram presença nas convocações de diversas faculdades particulares conceituadas, como Mackenzie, Fundação Getúlio Vargas e Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCCAMP).  Além dessa primeira aprovação, muitos alunos figuram entre os aprovados na primeira fase dos vestibulares para faculdades públicas nacionais (como Unicamp e FUVEST) e universidades internacionais (como a St. Edwards University, Penn State e Liberty University, todas nos Estados Unidos da América).  Sendo assim, ficamos na expectativa de novas e positivas notícias sobre o desempenho dos alunos do Notre Dame nos processos seletivos de ingresso na vida universitária.

Confira a lista de aprovados pelo link: https://www.notredamecampinas.com.br/wp-content/uploads/2021/12/aprovados-lista-geral-2022-4.pdf.

A Congregação de Santa Cruz parabeniza todos os alunos aprovados nas diversas universidades nacionais e internacionais e deseja a todos um percurso acadêmico abençoado e repleto de aprendizado!

O Domingo: 3º Domingo do Advento

Leitura da Profecia de Sofonias 3,14-18a

Canta de alegria, cidade de Sião;
rejubila, povo de Israel!
Alegra-te e exulta de todo o coração,
cidade de Jerusalém!
O Senhor revogou a sentença contra ti,
afastou teus inimigos;
o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti,
nunca mais temerás o mal.
Naquele dia, se dirá a Jerusalém:
‘Não temas, Sião,
não te deixes levar pelo desânimo!
O Senhor, teu Deus, está no meio de ti,
o valente guerreiro que te salva;
ele exultará de alegria por ti,
movido por amor;
exultará por ti, entre louvores,
acomo nos dias de festa’.
Palavra do Senhor.

Salmo – Is 12,2-3.4bcd.5-6 (R.6)

R. Exultai cantando alegres, habitantes de Sião
porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!

Eis o Deus, meu Salvador, eu confio e nada temo;*
o Senhor é minha força, meu louvor e salvação.
Com alegria bebereis no manancial da salvação. R.

e direis naquele dia: ‘Dai louvores ao Senhor,
invocai seu santo nome, anunciai suas maravilhas,*
entre os povos proclamai que seu nome é o mais sublime. R.

Louvai cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos,*
publicai em toda a terra suas grandes maravilhas!
Exultai cantando alegres, habitantes de Sião,*
porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!’ R.

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses 4,4-7

Irmãos:
Alegrai-vos sempre no Senhor;
eu repito, alegrai-vos.
Que a vossa bondade seja conhecida de todos os homens!
O Senhor está próximo!
Não vos inquieteis com coisa alguma,
mas apresentai as vossas necessidades a Deus,
em orações e súplicas, acompanhadas de ação de graças.
E a paz de Deus, que ultrapassa todo o entendimento,
guardará os vossos corações e pensamento
em Cristo Jesus.
Palavra do Senhor.

Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 3,10-18

Naquele tempo:
As multidões perguntavam a João: ‘Que devemos fazer?’
João respondia:
‘Quem tiver duas túnicas, dê uma a quem não tem;
e quem tiver comida, faça o mesmo!’
Foram também para o batismo cobradores de impostos,
e perguntaram a João:
‘Mestre, que devemos fazer?’
João respondeu:
‘Não cobreis mais do que foi estabelecido.’
Havia também soldados que perguntavam:
‘E nós, que devemos fazer?’
João respondia:
‘Não tomeis à força dinheiro de ninguém,
nem façais falsas acusações;
ficai satisfeitos com o vosso salário!’
O povo estava na expectativa
e todos se perguntavam no seu íntimo
se João não seria o Messias.
Por isso, João declarou a todos:
‘Eu vos batizo com água,
mas virá aquele que é mais forte do que eu.
Eu não sou digno de desamarrar a correia de suas
sandálias.
Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo.
Ele virá com a pá na mão:
vai limpar sua eira e recolher o trigo no celeiro;
mas a palha ele a queimará no fogo que não se apaga.’
E ainda de muitos outros modos,
João anunciava ao povo a Boa-Nova.
Palavra da Salvação.

Reflexão

Os líderes do povo de Israel fizeram um acordo com os chefes de povos pagãos. Por causa das infidelidades dos chefes judeus, Sofonias temia terrivelmente uma punição do Deus Javé, mas profeta descobre que Deus é infinitamente MISERICORDIOSO e que não irá puni-los. Deus ama seu povo apesar das suas infidelidades e vai tomar a iniciativa de uma reconciliação, pois o Todo-Poderoso é também o Todo-Amoroso. No fundo, Deus nos ama não porque somos bons, mas para que sejamos melhores. Sofonias eufórico grita:

“Pula de alegria, povo de Sião”

Rejubila, alegra-te e exulta de todo o coração!

Não tenha mais medo, pois o Senhor revogou a sentença contra ti.

Que ninguém se deixe levar pelo desânimo”!

Movido pelo amor, Deus salva seu povo e esquece o passado. Nós somos diferentes, pois lutamos pela justiça e não pelo perdão. Sabemos que não há paz sem justiça e quem transgrediu a lei deve ser punido. A punição é necessária para corrigir ou para indenizar os prejuízos sofridos pelo injustiçado. Punição deve ser correção, devolução, indenização, mais do que retaliação, pois ela não é uma conscientização para a conversão. Em geral, é difícil perdoar uma traição ou esquecer totalmente uma injustiça sofrida ou uma humilhação pública. Todavia, quem tem “coração de mãe” – como Deus o tem – quer corrigir sem ferir.

Deus é diferente de nós, pois seu amor é infinitamente misericordioso, sempre disposto a perdoar e capaz de fazer loucuras de tão apaixonado pela humanidade. Deus decidiu fazer-se um de nós deixando a sua situação confortável de vida com o Pai Eterno para entrar no tempo, isto é, numa situação igual à nossa; fez-se carne por amor, assumindo as consequências até a morte. Pela encarnação do Seu Filho Jesus, Deus experimentou tudo da vida humana, menos o pecado. Jesus não veio para condenar, mas para salvar o pecador arrependido. Dizia ele aos seus seguidores: “não há maior amor do que dar a vida pelos amigos. Vós sois meus amigos”!

Hoje, lemos que o Precursor de Jesus, João Batista, nos incentiva à conversão e à correção. Jesus vem para nos perdoar se estivermos dispostos a mudar. Não há perdão sem conversa, sem o desejo de correção e de tomar as medidas necessárias para uma mudança de vida permanente e não de poucos dias para “fazer bonito” durante as festas natalinas. Para converter-se, que cada um de nós pergunte a João Batista: “O que é que eu devo fazer”? Ele já disse para os judeus que perguntavam: “Quem tem duas túnicas, dê uma para quem não tem”! Hoje, talvez diria: “Quem tem duas casas dê uma para quem vive na rua”. Aos saduceus de hoje ele diria: “Faça uma boa doação para um orfanato”.

Aos guardas e policiais, João está dizendo: “não usem de violência contra ninguém e nem façam acusações falsas”. Hoje, talvez ele diria aos que fazem do feriado natalino uma ocasião de orgias: “Respeitem a vida dos outros! Se tem bebido, não dirija”! Aos governantes corruptos e aos empresários desonestos: “Não recebam propinas, não soneguem impostos”! Em resumo, a todos que só pensam em si, façam caridade para desempregados conhecidos e ajudem as famílias numerosas!

João batizava nas águas do Rio Jordão. Era um batismo de conversão e não um batismo de salvação e de vida nova como o nosso, pois nosso Batismo é ministrado com uma água que jorra para a Vida Eterna e essa água da Vida Eterna veio através da Páscoa de Jesus Cristo. Nós, batizados na fonte batismal da Igreja, já recebemos o princípio da Vida Eterna.

Por enquanto, João está revolucionando o seu mundo e o nosso pregando duas atitudes fundamentais para a sua e a nossa renovação: o amor e a justiça. Praticando essas atitudes seremos convertidos e revolucionaremos o mundo, e vivendo-as plenamente sentiremos o que Sofonias sentiu, pulando de alegria com o coração em júbilo e exultando de amor e paz. Sejamos generosos nos carinhos e nos abraços, pois não custa nada, bem como na coleta para Evangelização deste mês, que pede tão pouco, mas faz uma diferença enorme no mundo!


 Pe. Lourenço, CSC

 

09/12 Nascimento do Pe. Jacques Dujarié

“Eu sou um sacerdote, a fim de ser um conforto para as viúvas, Pai dos órfãos, Protetor dos pobres e Amigo dos doentes”

Rev. Jacques- François Dujarié foi um importante personagem na fundação da Congregação de Santa Cruz. Sua heroica determinação de servir às necessidades espirituais e materiais dos pobres na França ajudou a lançar as bases da missão de Santa Cruz em todo o mundo.

Dujarié nasceu em Rennes-ex-Genouilles, França, em 9 de dezembro de 1767.  Cresceu querendo ser padre e era seminarista em Angers em 1789, quando se deu a Revolução Francesa. Dois anos depois, em 1791, quando o governo revolucionário exigiu que todo o clero fizesse um juramento de lealdade ao Estado, o seminário foi dissolvido.

Apesar de a maioria das pessoas de Rennes e arredores apoiarem os padres e religiosos que se mantiveram leais à Igreja, a situação não era segura. Padres e religiosos que não fizeram o juramento foram forçados a se esconder para evitar o aprisionamento, deportação ou até execução.  Por isso, durante muitos anos, Dujarié viajou de vila em vila, disfarçando-se de pastor ou vendedor, para que pudesse auxiliar os padres que estavam conduzindo celebrações às escondidas.

Em julho de 1795, terminou seus estudos ministeriais sob a tutela do pastor em Ruillé-sur-Loir. Em 26 de dezembro do mesmo ano, em Paris, Dujarié foi ordenado padre (em segredo).  Retornou, então, a Ruillé-sur-Loir e celebrou sua primeira missa no meio da noite, em um celeiro fora da cidade. Assim, muito discretamente, geralmente à noite, celebrou muitas missas e sacramentos. Se saísse durante o dia, era sempre disfarçado. Tanto ele quanto os fiéis viviam em grande risco.

Em 1801, um acordo entre Napoleão Bonaparte e o Vaticano restaurou a fé pública e reconstituiu a Igreja Católica no relacionamento com o Estado. A Igreja, agora, enfrentava a assustadora tarefa de reconstrução. As necessidades eram enormes, já que a Revolução havia confiscado as propriedades da Igreja e efetivamente fechado a maioria das escolas e instituições sociais. Além disso, muitos padres e religiosos haviam sido exilados ou mortos. Em 1803, Dujarié foi nomeado pastor da paróquia de Ruillé-sur-Loir e, abarcando a tarefa da reconstrução, trabalhou zelosamente para atender as várias necessidades de seu rebanho.

Em 1806, Dujarié reuniu um grupo de moças para ensinar os jovens em vilas próximas. Essas mulheres se tornaram as Irmãs da Providência, e tiveram sua própria ordem estabelecida em 1831.

Alguns anos depois, o clero da Diocese de Le Mans convidou Pe. Dujarié a unir um grupo de irmãos para ensinar em paróquias, e, respondendo a esse convite, em 1820, fundou os Irmãos de São José. Pe. Dujarié, percebendo esse grupo de irmãos, que crescia rapidamente, ainda era muito tênue, a ele juntou um grupo de padres diocesanos para trabalhar e dar coesão à estrutura já montada. Nesse período, sua saúde já estava um tanto precária, e então Pe. Dujarié, com o consentimento do Bispo, selecionou o Rev. Basile Moreau para continuar seu trabalho.

Moreau transferiu os irmãos para Santa Cruz, um bairro de Le Mans, em 1835. Dois anos depois, no Ato Fundamental da União, os Irmãos de São Jose se uniram formalmente ao grupo de padres auxiliares do Pe. Moreau, criando, assim, a Congregação de Santa Cruz.

A convite de Moreau, Dujarié viveu os últimos anos de sua vida em Santa Cruz. Morreu em  em 17 de fevereiro de 1838.

O Domingo: 2º Domingo do Advento

Leitura do Livro do Profeta Baruc 5,1-9

Despe ó Jerusalém, a veste de luto e de aflição,
e reveste, para sempre, os adornos da glória
vinda de Deus.
Cobre-te com o manto da justiça que vem de Deus e
põe na cabeça o diadema da glória do Eterno.
Deus mostrará teu esplendor, ó Jerusalém,
a todos os que estão debaixo do céu.
Receberás de Deus este nome para sempre:
‘Paz-da-justiça e glória-da-piedade’.
Levanta-te, Jerusalém, põe-te no alto
e olha para o Oriente!
Vê teus filhos reunidos pela voz do Santo,
desde o poente até o levante,
jubilosos por Deus ter-se lembrado deles.
Saíram de ti, caminhando a pé,
levados pelos inimigos.
Deus os devolve a ti, conduzidos com honras,
como príncipes reais.
Deus ordenou que se abaixassem
todos os altos montes e as colinas eternas,
e se enchessem os vales, para aplainar a terra,
a fim de que Israel caminhe com segurança,
sob a glória de Deus.
As florestas e todas as árvores odoríferas,
darão sombra a Israel, por ordem de Deus.
Sim, Deus guiará Israel, com alegria,
à luz de sua glória, manifestando a misericórdia
e a justiça que dele procedem.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 125,1-2ab.2cd-3.4-5.6 (R. 3)

R. Maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!

1Quando o Senhor reconduziu nossos cativos,*
parecíamos sonhar;
2aencheu-se de sorriso nossa boca,*
2bnossos lábios, de canções.R.

2cEntre os gentios se dizia: ‘Maravilhas*
2dfez com eles o Senhor!’
3Sim, maravilhas fez conosco o Senhor,*
exultemos de alegria!R.

4Mudai a nossa sorte, ó Senhor,*
como torrentes no deserto.
5Os que lançam as sementes entre lágrimas,*
ceifarão com alegria.R.

6Chorando de tristeza sairão,*
espalhando suas sementes;
cantando de alegria voltarão,*
carregando os seus feixes!R.

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses 1,4-6.8-11

Irmãos:
Sempre em todas as minhas orações
rezo por vós, com alegria,
por causa da vossa comunhão conosco
na divulgação do Evangelho,
desde o primeiro dia até agora.
Tenho a certeza de que
aquele que começou em vós uma boa obra,
há de levá-la à perfeição até ao dia de Cristo Jesus.
Deus é testemunha de que tenho saudade de todos vós,
com a ternura de Cristo Jesus.
E isto eu peço a Deus:
que o vosso amor cresça sempre mais,
em todo o conhecimento e experiência,
para discernirdes o que é o melhor.
E assim ficareis puros e sem defeito
para o dia de Cristo,
cheios do fruto da justiça
que nos vem por Jesus Cristo,
para a glória e o louvor de Deus.
Palavra do Senhor.

Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 3,1-6

No décimo quinto ano do império de Tibério César,
quando Pôncio Pilatos era governador da Judéia,
Herodes administrava a Galiléia,
seu irmão Filipe, as regiões da Ituréia e Traconítide,
e Lisânias a Abilene;
quando Anás e Caifás eram sumos sacerdotes,
foi então que a palavra de Deus
foi dirigida a João, o filho de Zacarias, no deserto.
E ele percorreu toda a região do Jordão,
pregando um batismo de conversão
para o perdão dos pecados,
como está escrito
no Livro das palavras do profeta Isaías:
‘Esta é a voz daquele que grita no deserto:
‘preparai o caminho do Senhor,
endireitai suas veredas.
Todo vale será aterrado,
toda montanha e colina serão rebaixadas;
as passagens tortuosas ficarão retas
e os caminhos acidentados serão aplainados.
E todas as pessoas verão a salvação de Deus”.
Palavra da Salvação.

Reflexão

Exilado na Babilônia, o povo de Isarael sofreu muito. O povo ficou envergonhado, humilhado pela derrota. Muitos perderam a Fé na proteção de Javé e nas promessas de Deus. O povo Judeu foi obrigado a sair de sua terra para caminhar até a Babilônia, chorando e lamentando, e o exílio foi interpretado como uma punição pelos pecados do povo. Durante os 48 anos de banimento, nasceram duas gerações de judeus a mais de 1.000km de distância da terra de seus pais, sem ter nenhuma ideia do que era o Templo de Jerusalém.

Passados os 48 anos de exílio, os israelitas puderam voltar para sua terra de cabeça erguida, superando o vexame sofrido pela derrota do passado. “Jubilosos por Deus ter-se lembrado deles”; “Levanta-te, Jerusalém, teus filhos estão de volta”. Acabou a tristeza do exílio. O povo pode despir-se das vestes de luto e aflição e revestir-se com enfeites de glória, pois Javé lembrou-se de seu povo! Deus ordena uma verdadeira “terraplanagem” para que o povo caminhe com segurança rumo a uma nova Jerusalém que será erguida. Porém, essa terraplanagem é espiritual e moral.

João Batista, filho de Zacarias e Isabel, nascido seis semanas antes de Jesus, foi o percursor de Cristo. João pregou no Rio Jordão, anunciando a chegada de Jesus Messias e Cordeiro de Deus fazendo alusão a Isaías e a Baruc, sugerindo fazer o seguinte: “endireitar passagens tortuosas, caminhos esburacados, acidentados demais”. Para corrigir todas as imperfeições daquele caminho, será necessário fazer uma conversão interna pessoal e comunitária; a mais completa possível.

A conversão a nível pessoal, que Lucas resumiu num breve sumário aproveitando as profecias de Baruc e Isaías (Is40, 3-5), começa dizendo “Esta é a voz que grita no deserto: ‘preparem o caminho do Senhor, endireitem suas estradas. Todo vale será aterrado, toda montanha e colina serão aplainadas; as estradas curvas ficarão retas, e os caminhos esburacados serão nivelados. E todo o homem verá a salvação de Deus” (Lc3, 4-6).

Como fazer para espiritualizar essa terraplanagem toda?

  • Rebaixar montanhas e colinas significa reconhecer nossa condição de pecadores, removendo o orgulho, a prepotência, a soberba e a ignorância;
  • Retirar pedras e perigos do caminho quer dizer levantar os ânimos pela esperança sem a ilusão do perigo do alcoolismo, uso de drogas, vício de celular e de outros vícios que dificultam um relacionamento pacífico pelo caminho da vida;
  • Aterrar vales e valetas, tampar buracos, preencher a carência de felicidade significa, no caminho da vida cristã, acabar com as desigualdades injustas e ensinar os direitos humanos. É preciso preencher a carência de felicidade, a falta de amor, de carinho, de entendimento, de oração, de diálogo, de sensibilidade e compreensão. Há muitos buracos para tampar afim de que ninguém deslize pelo caminho da vida;
  • Assegurar dignidade ao povo, quer dizer achar trabalho para todos; animar as comunidades; acelerar a marcha da economia; apreciar e respeitar a natureza; ser mais ecológico; achar o pão para os famintos; abrir mais escolas para educar as crianças pobres;
  • Endireitar passagens tortuosas e curvas perigosas, que significa que é preciso parar de usar palavras agressivas para difamar e enganar; corrigir informações desencontradas; corrigir Fake News; pôr boas sinalizações; corrigir os jovens sem os ferir; acabar com preconceitos raciais e étnicos; achar solução para os desníveis de escolaridade, pois tudo isso dificulta a caminhada comum;
  • Evitar acidentes pelo caminho da vida, ou seja, proteger-se! No contexto atual, podemos inserir a necessidade de vacinar-se contra a COVID-19 e suas variantes; obedecer sinalizações de trânsito; respeitar as leis para que todos possam caminhar com segurança para que, no fim da caminhada, uma nova Jerusalém seja erguida para a felicidade de um povo unido na paz desejada por todos e para todos.

Uma vez todos convertidos, poderemos esperar a volta do Senhor Jesus em nossos lares e comunidades na Paz e Alegria verdadeiras. Nossa fé fundamentada não em mitos ou dizeres, mas numa pessoa histórica: o Cristo Jesus cuja vida se enquadrou numa época bem conhecida, durante o Império Romano, no povo judeu, o melhor preparado!


 Pe. Lourenço, CSC

 

O Domingo: 1º Domingo do Advento

Leitura do Livro do Profeta Isaías 60, 1-6

‘Eis que virão dias, diz o Senhor,
em que farei cumprir a promessa de bens futuros
para a casa de Israel e para a casa de Judá.
Naqueles dias, naquele tempo,
farei brotar de Davi a semente da justiça,
que fará valer a lei e a justiça na terra.
Naqueles dias, Judá será salvo
e Jerusalém terá uma população confiante;
este é o nome que servirá para designá-la:
‘O Senhor é a nossa Justiça’.’
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 24,4bc-5ab.8-9.1014 (R.1b)

R. Senhor meu Deus, a vós elevo a minha alma!

4Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos,*
e fazei-me conhecer a vossa estrada!
5Vossa verdade me oriente e me conduza,
porque sois o Deus da minha salvação! R.

😯 Senhor é piedade e retidão,*
e reconduz ao bom caminho os pecadores.
9Ele dirige os humildes na justiça,*
e aos pobres ele ensina o seu caminho. R.

10Verdade e amor são os caminhos do Senhor*
para quem guarda sua Aliança e seus preceitos.
14O Senhor se torna íntimo aos que o temem
e lhes dá a conhecer sua Aliança. R.

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses 3,12-4,2

Irmãos:
Senhor vos conceda que o amor entre vós e para com
todos aumente e transborde sempre mais,
a exemplo do amor que temos por vós.
Que assim ele confirme os vossos corações
numa santidade sem defeito aos olhos de Deus, nosso
Pai, no dia da vinda de nosso Senhor Jesus,
com todos os seus santos.
Enfim, meus irmãos, eis o que vos pedimos
e exortamos no Senhor Jesus:
Aprendestes de nós como deveis viver para agradar a
Deus, e já estais vivendo assim.
Fazei progressos ainda maiores!
Conheceis, de fato, as instruções
que temos dado em nome do Senhor Jesus.
Palavra do Senhor

Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 21,25-28.34-36

Naquele tempo disse Jesus a seus discípulos:
Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas.
Na terra, as nações ficaróo angustiadas,
com pavor do barulho do mar e das ondas.
Os homens vão desmaiar de medo,
só em pensar no que vai acontecer ao mundo,
porque as forças do céu serão abaladas.
Então eles verão o Filho do Homem,
vindo numa nuvem com grande poder e glória.
Quando estas coisas começarem a acontecer,
levantai-vos e erguei a cabeça,
porque a vossa libertação está próxima.
Tomai cuidado para que vossos corações
não fiquem insensíveis por causa da gula,
da embriaguez e das preocupações da vida,
e esse dia não caia de repente sobre vós;
pois esse dia cairá como uma armadilha
sobre todos os habitantes de toda a terra.
Portanto, ficai atentos e orai a todo momento,
a fim de terdes força
para escapar de tudo o que deve acontecer
e para ficardes em pé diante do Filho do Homem.
Palavra da Salvação.

Reflexão

Deus, por meio do profeta Jeremias anuncia a aquisição de uma semente muito especial para o crescimento da humanidade, e o nome que servirá para designá-la é muito bonito! A semente vem de Deus e seu nome é “O Senhor é nossa justiça”. Esta semente, uma vez plantada, fará brotar justiça e paz. Pelo Salmo desta liturgia, pedimos a Deus que nos conduza no caminho da retidão, pois andamos em estradas tortuosas. Ele nos conduzirá pelo caminho da Verdade, Justiça e amor para que não andemos mais na contramão da salvação.

O tempo do Advento tem uma dimensão passada e outra futura, além disso, podemos compreendê-lo ainda em dois sentidos. O primeiro é de que é um tempo para se comemorar e contemplar a chegada de Jesus Salvador desde seu Natal e depois reviver a adoração dos magos, a fuga da Sagrada Família para o Egito e, finalmente, o retorno de Maria à Nazaré com José e o menino Jesus de quatro anos de idade. Trata-se do início da vida histórica de Jesus.

No segundo sentido, o advento também é tempo de contemplação da dimensão celeste, isto é, de alimentar a esperança da volta gloriosa do Senhor no final dos tempos, segundo a Sua promessa antes de partir do nosso mundo. No final dos tempos, Jesus virá na sua Glória: “Os homens verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória”. Jesus usando a expressão “Filho do Homem” faz referência ao profeta Daniel, lido na liturgia de Cristo Rei: “o Seu poder é um poder eterno e seu Reino nunca acabará”. Quando Ele chegar, é para as pessoas ficarem em pé, em postura de atenção!

Antes da sua chegada, poderão acontecer coisas apavorantes no céu, na terra, no mar e entre as nações. Todavia, haverá um final feliz para todos os que acreditam na verdade e na justiça e para todos os semeadores do amor, pois o Projeto de Deus não pode fracassar. A realização do Reino de Deus acontecerá custe o que custar! Quanto aos violentos, mentirosos, falsos, desonestos, aproveitadores e acomodados, para eles a vinda de Jesus glorioso será o fracasso, pois eles estão na contramão.

Jesus fala: “Levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima!” (Lc21, 28). Que tipo de libertação é essa? Hoje em dia, precisamos ser livres do quê? Dos vícios, maus hábitos e todo tipo de dependência; das más inclinações, como gula, mentira, fofoca; do medo, pessimismo e falta de sensibilidade; do individualismo, egoísmo e dureza de coração; da inveja e do ciúme, da vingança, violência e matança; do racismo e do ódio; das injustiças, desonestidades; mentiras e das “Fake News”; das desigualdades, preconceitos e autoritarismos. É como Jesus disse: “Tomais cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis” (Lc21, 35). Os insensíveis não se importam com a sorte dos outros!

O Advento é tempo de faxina e conversão, tempo de oração e da leitura orante da Bíblia; de carinho especial para crianças e idosos, para reconciliação com familiares e vizinhos; tempo de caridade, de ajuda aos pobres e gestantes sem amparo.

Portanto, “Vigiem, rezando em todo momento, a fim de terem forças para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficar de pé diante do Filho do Homem” (Lc21, 36). A novena de Natal sempre opera na vida das pessoas uma transformação nos corações. A novena de Natal é como se fosse um “amaciante” para corações rebeldes e duros, é uma boa dose de remédio para pessoas solitárias e que estão de mal com a vida. A novena de Natal leva sempre para gestos concretos de amor e paz. Que o Advento seja a ocasião de uma boa faxina para muitos e de alegria para todos!


 Pe. Lourenço, CSC