09/12 Nascimento do Pe. Jacques Dujarié

“Eu sou um sacerdote, a fim de ser um conforto para as viúvas, Pai dos órfãos, Protetor dos pobres e Amigo dos doentes”

Rev. Jacques- François Dujarié foi um importante personagem na fundação da Congregação de Santa Cruz. Sua heroica determinação de servir às necessidades espirituais e materiais dos pobres na França ajudou a lançar as bases da missão de Santa Cruz em todo o mundo.

Dujarié nasceu em Rennes-ex-Genouilles, França, em 9 de dezembro de 1767.  Cresceu querendo ser padre e era seminarista em Angers em 1789, quando se deu a Revolução Francesa. Dois anos depois, em 1791, quando o governo revolucionário exigiu que todo o clero fizesse um juramento de lealdade ao Estado, o seminário foi dissolvido.

Apesar de a maioria das pessoas de Rennes e arredores apoiarem os padres e religiosos que se mantiveram leais à Igreja, a situação não era segura. Padres e religiosos que não fizeram o juramento foram forçados a se esconder para evitar o aprisionamento, deportação ou até execução.  Por isso, durante muitos anos, Dujarié viajou de vila em vila, disfarçando-se de pastor ou vendedor, para que pudesse auxiliar os padres que estavam conduzindo celebrações às escondidas.

Em julho de 1795, terminou seus estudos ministeriais sob a tutela do pastor em Ruillé-sur-Loir. Em 26 de dezembro do mesmo ano, em Paris, Dujarié foi ordenado padre (em segredo).  Retornou, então, a Ruillé-sur-Loir e celebrou sua primeira missa no meio da noite, em um celeiro fora da cidade. Assim, muito discretamente, geralmente à noite, celebrou muitas missas e sacramentos. Se saísse durante o dia, era sempre disfarçado. Tanto ele quanto os fiéis viviam em grande risco.

Em 1801, um acordo entre Napoleão Bonaparte e o Vaticano restaurou a fé pública e reconstituiu a Igreja Católica no relacionamento com o Estado. A Igreja, agora, enfrentava a assustadora tarefa de reconstrução. As necessidades eram enormes, já que a Revolução havia confiscado as propriedades da Igreja e efetivamente fechado a maioria das escolas e instituições sociais. Além disso, muitos padres e religiosos haviam sido exilados ou mortos. Em 1803, Dujarié foi nomeado pastor da paróquia de Ruillé-sur-Loir e, abarcando a tarefa da reconstrução, trabalhou zelosamente para atender as várias necessidades de seu rebanho.

Em 1806, Dujarié reuniu um grupo de moças para ensinar os jovens em vilas próximas. Essas mulheres se tornaram as Irmãs da Providência, e tiveram sua própria ordem estabelecida em 1831.

Alguns anos depois, o clero da Diocese de Le Mans convidou Pe. Dujarié a unir um grupo de irmãos para ensinar em paróquias, e, respondendo a esse convite, em 1820, fundou os Irmãos de São José. Pe. Dujarié, percebendo esse grupo de irmãos, que crescia rapidamente, ainda era muito tênue, a ele juntou um grupo de padres diocesanos para trabalhar e dar coesão à estrutura já montada. Nesse período, sua saúde já estava um tanto precária, e então Pe. Dujarié, com o consentimento do Bispo, selecionou o Rev. Basile Moreau para continuar seu trabalho.

Moreau transferiu os irmãos para Santa Cruz, um bairro de Le Mans, em 1835. Dois anos depois, no Ato Fundamental da União, os Irmãos de São Jose se uniram formalmente ao grupo de padres auxiliares do Pe. Moreau, criando, assim, a Congregação de Santa Cruz.

A convite de Moreau, Dujarié viveu os últimos anos de sua vida em Santa Cruz. Morreu em  em 17 de fevereiro de 1838.

Comunicação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *