O Domingo: Pentecostes

Leitura do Livro dos Atos dos Apóstolos (At 2,1-11):

Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava. Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo. Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua. Cheios de espanto e admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? Nós, que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus em nossa própria língua!”

Salmo – Sl 102, 1-2. 11-12. 19-20ab (R. 19a)

R. O Senhor pôs o seu trono lá nos céus.
 

Bendize, ó minha alma, ao Senhor,*
e todo o meu ser, seu santo nome!
Bendize, ó minha alma, ao Senhor,*
não te esqueças de nenhum de seus favores!R.

Quanto os céus por sobre a terra se elevam,*
tanto é grande o seu amor aos que o temem;
quanto dista o nascente do poente,*
tanto afasta para longe nossos crimes.R.

O Senhor pôs o seu trono lá nos céus,*
e abrange o mundo inteiro seu reinado.
Bendizei ao Senhor Deus, seus anjos todos,*
valorosos que cumpris as suas ordens.R.

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios (1Cor 12,3b-7.12-13):

Irmãos: Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo. Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum. Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo. De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito.

Evangelho de Jesus Cristo segundo João (Jo 20.19-23)

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

Reflexão

Pentecostes era uma festa que congregava os judeus que vinham à Jerusalém com o desejo de agradecer a Deus pelas primeiras colheitas do ano. Era uma festa muito linda: grupos de pessoas vindo de todos os cantos e dos países vizinhos; eles traziam cestos de uva, trigo, azeitonas, mel… O povo era acolhido ao som da harpa, das flautas e cantava salmos.

Numa certa sala, de portas fechadas, ainda com medo dos judeus, os apóstolos estavam reunidos em oração. Esses homens não estavam nada alegres. Os Apóstolos estavam sem coragem. O grupo, mesmo reunido num mesmo lugar, parecia sem ânimo. Durante 50 dias, nenhuma Eucaristia tinha sido celebrada apesar de Jesus ter dito em tom de uma Ordem: “Fazei isso em memória de mim”. Eles só saíam de vez em quando para pescar peixinhos no lago de Tiberíades apesar de terem recebido a missão de serem pescadores de gente.

Ainda bem que eles obedeceram à Palavra de Jesus que tinha dito: “Não se afastem de Jerusalém: Esperem que se realize a promessa do Pai… dentro de poucos dias, serão batizados pelo Espírito Santo”. Foram para Jerusalém porque era lá que a Igreja devia nascer. NASCEU! No livro dos Atos dos apóstolos lemos que uma bola de fogo desceu do céu, dividiu-se em chamas que posaram sobre os apóstolos unindo-os junto com Maria para formar com o mesmo Espírito Divino um só Corpo. Tudo mudou: Encheram-se de coragem e lembraram tudo o que tinha acontecido, e como interpretar as Escrituras Sagradas. A Igreja, embrionária durante 3 anos, agora viu a luz. Foram 3 anos de gestação: os apóstolos foram alimentados pela Palavra Viva de Jesus. Judeus de todos os cantos entendiam a palavra dos apóstolos em sua própria língua. Pentecostes foi o sinal da globalização e o milagre da comunicação!

Ainda, a Liturgia do Evangelho escrito por João nos lembra que na tarde do dia da sua Ressurreição Jesus tinha aparecido aos apóstolos e que naquela aparição Ele havia antecipado a entrega de alguns DONS do Espírito Santo: o Dom da Paz por exemplo: “A paz esteja convosco”. Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”. Por estas Últimas palavras Jesus instituiu o Sacramento da Reconciliação transferindo o Dom de Perdoar para seus apóstolos. PERDÃO E PAZ ANDAM JUNTOS!

Durante a Campanha da Fraternidade nós usamos as palavras de Paulo: “do que era dividido, Deus fez uma unidade“. O Espírito de Deus sempre faz uma unidade do que está dividido ou separado, pois o Espírito Santo é o Elo que une o Pai e o Filho na Trindade divina. Pelo Espírito do amor existe uma tal fusão que o Amor se torna Deus. Sendo assim, o Apóstolo São João escreveu: “Quem ama nasceu de Deus e é Filho de Deus porque Deus é Amor”. E de todos os gestos de amor, o perdão é o mais gratuito. Perdoar é amar! No amor existe afeto, existe o desejo de fazer o outro feliz, existe o prazer de estar unido com a pessoa amada; no amor existe diálogo, compreensão e perdão. O mais gratuito dos vários tipos de amor é o perdão.

Pentecostes veio também consertar os desentendimentos acontecidos entre nações desde a historinha do fracasso da construção da torre de Babel. Hoje, vem como presságio de Nações Unidas pelas tecnologias das línguas. Contrastando com a situação de Babel, existe hoje uma convergência de vários países em criar entre eles mais união construtiva e muitos intercâmbios nos conhecimentos científicos que facilitam a convivência a distância. Sem querer confundir Pandemia com Pentecostes podemos aproveitar para parabenizar os empresários dispostos em conjugar seus recursos com países em maior dificuldade para salvar vidas famintas decorrentes da pandemia. Que o Espírito Divino continue inspirando pessoas de boa vontade a cuidar da saúde dos nossos corpos numa responsabilidade mundial para não voltar a ideia de Babel. A quem costuma usar o Livro das Horas aconselho procurar na página 635 os Frutos do Espírito: caridade, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade lealdade, mansidão, continência.


 Pe. Lourenço, CSC

 
Comunicação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *